Abdul Omar a caminho do Têxtil do Púnguè

Abdul Omar a caminho do Têxtil do Púnguè

O Têxtil do Púnguè chegou a acordo com o treinador Abdul Omar para assumir o comando técnico da equipa principal de futebol nesta época.

O treinador encontra-se em Vilankulo devendo escalar dentro desta semana a cidade da Beira onde irá assinar o contrato e será apresentado como novo técnico dos “fabris” da Manga, com o objectivo de conduzir a colectividade ao Moçambola.

Segundo escreve o Diário de Moçambique, o treinador confirmou à nossa Reportagem a informação. Afirmou estar de malas aviadas para a cidade da Beira para assumir o comando técnico dos “fabris” da Manga.

“Acertei com o Têxtil do Púnguè para assumir o comando técnico do clube com objectivo de levar a equipa ao Moçambola este ano. A minha ida para lá está dependente da saúde da minha filha que se encontra internada no hospital. Mas ainda esta semana estarei aí no Chiveve para ser apresentado”, disse Abdul Omar.

Para o treinador, o projecto do Têxtil do Púnguè é mais aliciante do que aquele que tinha recebido do Sporting de Nampula, clube que esta temporada irá militar no Moçambola.

“De facto, recebi uma chamada do presidente do Sporting de Nampula, conversámos mas não chegámos a um consenso. Não tenho nada com eles mas sim acertei com o vice-presidente Maite e vou ao Têxtil do Púnguè”, garantiu.

Esta será a sua terceira passagem pela cidade da Beira, depois de ter passado pelo Sporting e Estrela Vermelha. Aliás, afirma que sempre foi sua paixão assumir o comando técnico dos “fabris” da Manga.

“Nunca antes tinha treinado o Têxtil do Púnguè como alguns jornais falam. Mas a verdade é que sempre tive esta vontade porque este clube é o mais popular da zona Centro. Estou preparado e nas expectativas de dar alegria aos adeptos do Têxtil. Sei que a pressão será tanta mas farei de tudo para dar o meu melhor”, considerou.

Por ter seus bens e negócios em Vilankulo, ele afirma que não quer trabalhar muito longe daí, por isso entende que trabalhar na cidade da Beira lhe abre espaço para de quando em vez dar uma “saltada” à província de Inhambane para olhar pelas suas coisas.

“Beira é perto para mim olhando pelos meus negócios. Foi na base disso que declinei o convite de Nampula onde acho que seria muito difícil trabalhar para mim. Venho dentro destes dias para iniciar com os trabalhos porque sei que lá em Sofala existe o torneio de abertura e a taça de honra”, frisou.

Ainda assim, o técnico disse que vem para acertar todos os detalhes do contrato que lhe permitam trabalhar a vontade para conduzir a equipa ao Moçambola.

Deixe uma resposta