Angola e Fida firmam acordo para aumentar segurança alimentar

Angola e Fida firmam acordo para aumentar segurança alimentar

Meta é ajudar 8 mil famílias de zonas rurais nas províncias de Benguela, Cunene e Huíla; sector agrícola emprega 44% da população do país, mas representa 10% do PIB do país.

O governo de Angola assinou um novo acordo financeiro com o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Fida. A ideia é aumentar a segurança alimentar de 8 mil famílias de zonas rurais das províncias de Benguela, Cunene e Huíla.

Os beneficiários devem receber sementes para plantio e também galinhas, cabras, ovelhas e porcos para criação. O projeto tem custo de US$ 7,6 milhões, incluindo um empréstimo de US$ 5 milhões e uma doação de US$ 1 milhão do Fida.

Efeitos da guerra

Segundo o Fundo da ONU, o sector agrícola emprega 44% da população angola, mas contribui com 10% do Produto Interno bruto, PIB, do país.

Mais da metade da população pobre de Angola vive nas zonas rurais e depende exclusivamente da agricultura como meio de subsistência. Durante décadas de guerra civil, o sector agrícola foi destruído e houve uma queda da produtividade.

O Fida explica que desde o retorno da paz, em 2002, o governo tem feito esforços para abordar esses problemas.

Água  

O novo plano ajudará os agricultores a aumentar suas colheitas e a produção de gado. Outra meta é reverter os impactos negativos das secas prolongadas de 2016. Haverá também a reconstrução de fontes de água e orientações para reduzir a vulnerabilidade associada aos eventos do clima.

O acordo para o Projecto de Recuperação Agrícola foi assinado em Roma pelo presidente do Fida, Gilbert Houngbo, e pelo embaixador angolano na Itália Florêncio Mariano da Conceição de Almeida.

Cortesia da: Rádio ONU [Eleutério Guevane.]

Deixe uma resposta