Angola Faz História e Moçambique Conta Estórias!

Angola Faz História e Moçambique Conta Estórias!

1. O Estado Angolano falante de língua portuguesa e com a mesma trajetória histórica que a de Moçambique, lança hoje (26/12) o seu primeiro Angosat (Satélite) que acontece em Cazaquistão um país transcontinental localizado na Ásia Central.

2. O objetivo por volta do lançamento deste satélite com um investimento de cerca de 320 milhões de dólares, valor muito ínfimo em relação ao valor que gerou a dívida pública em Moçambique que cabia para mais ou menos três satélites, prende-se na necessidade de garantir independência as operadas móveis que no passado tinham que alugar os serviços de outros satélites estalados na região Austral.

3. Neste sentido o Estado Angolano contará com seu próprio satélite que entrará em período de teste entre dois a três meses e isso permitirá com que as operadoras móveis em Angola usem os serviços que serão proporcionados pelo Angoset em detrimento dos outros satélites.

4. Não há sombras de dúvidas que por detrás do lançamento deste satélite existam interesses de ordem sicuritarios, ou seja, o Estado Angolano terá o controlo pleno de todas operações móveis dentro do seu país e essa medida se insere no âmbito do patrulhamento cibernético o que será ainda fácil para que o governo tenha o controle dos dispositivos móveis.

5. No mínimo temos que saudar está iniciativa, pois pelo menos os custos das operações móveis poderão baixar a médio prazo. Bem haja Angola.

Moçambique só Conta Estórias!

1. Nós enquanto que Estado, ainda somos reféns daquelas velhas promessas e velhos papos que ja vão atingir a sua fase idosa e de insustentabilidade, um desenvolvimento que para a maioria nunca chega mas para um punhado até há de sobra.

2. Enquanto nos mantemos resiliêntes e tautologicamente firmes outros vão mamando a custa da nossa paciência hospitaleira. Até quando pelo menos um Moçaset (Satélite)?

3. Já passam quarenta e dois anos e somos dependentes em quase tudo até na produção de fraldas descartáveis, até na prestação de mão de obra para as indústrias energéticas que exploram os únicos recursos estratégicamentes valiosos que a natureza nos proporcionou.

4. Contam nos aquelas estórias que um dia tudo irá mudar ainda somos tão jovens e a nossa independência ainda é tão nova, conheço países que em menos de 20 anos se tornaram referências mundiais em questões de reconstrução e desenvolvimento.

5. Chega de estórias vamos fazer história.

Deixe uma resposta