Evento da ONU-Habitat expõe propostas para melhorar planeamento urbano na Guiné-Bissau

Evento da ONU-Habitat expõe propostas para melhorar planeamento urbano na Guiné-Bissau

Evento na capital guineense deve ajudar a produzir novas propostas e modelos inovadores de planeamento sustentável; Bissau não tem plano urbano formal aprovado há 28 anos.

A Guiné-Bissau realiza esta terça-feira a Conferência sobre Desenvolvimento Urbano Sustentável, o laboratório de planeamento com o apoio da Agência das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos, ONU-Habitat.

A agência apoia o país em ações para melhorar o planeamento urbano, em particular na capital Bissau que acolhe um quarto da população do país estimada em 1,5 milhão de pessoas.

Assentamentos

A ONU-Habitat revela que a capital guineense não tinha plano urbano formal aprovado desde a década de 1990, e verifica uma expansão dos assentamentos e congestionamento da circulação no centro da cidade. Entre os desafios de Bissau estão a oferta de água, saneamento e energia.

Os organizadores do laboratório de planeamento querem que o evento apoie em questões como design e planeamento urbano.

Desenvolvimento

A ideia é que sejam produzidas novas propostas, modelos inovadores de planeamento sustentável, ferramentas e princípios adaptados ao contexto local para garantir o desenvolvimento urbano sustentável da cidade.

A agência da ONU lembra que a Guiné-Bissau sofreu com anos de conflito interno e passa por dificuldades em relação à situação política, que se junta ao facto de estar entre os países menos desenvolvidos do mundo.

Um dos aspectos positivos é que o país tem a urbanização como um dos cinco pilares do seu plano de desenvolvimento estratégico de 10 anos, conhecido por Terra Ranka.

A iniciativa a ser executada até 2025 foi aprovada na conferência de doadores de Bruxelas em 2014 e poderá ser financiada após a estabilização da situação política.

Cortesia da: Rádio ONU

Deixe uma resposta