Há que tomar medidas de precaução para assegurar a segurança cibernética

Há que tomar medidas de precaução para assegurar a segurança cibernética

O Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional (MCTESTP), reafirma seu compromisso no reforço da segurança cibernética. Para o efeito, o governo diz ser necessário posicionar-se na dianteira na tomada de medidas e controlos mais adequados, assegurando que não ocorram ou sejam minimizados qualquer tentativa de disrupção dos serviços prestados pelo estado.

O facto foi revelado está quarta-feira (11), em Maputo, na abertura do Workshop sobre Segurança Cibernética em Moçambique, pelo secretário permanente do MCTESTP, Celso Laice que disse ser urgente a tomada de medidas governamentais em coordenação com demais entidades que lidam com o campo cibernético.

“Nesta era da Informação e do “digital”, a protecção dos sistemas computacionais contra o roubo, viciação, violação ou danificação tanto do software, da informação e do hardware, torna-se crucial, atendendo que cada vez mais estamos dependentes da computação e, na automação para a gestão de grandes infra-estruturas e info-estruturas de prestação  de serviços críticos, tanto para o Governo, como para a população”, afirmou.

Laíce desafia os cidadãos nacionais a adoptarem uma cultura de segurança cibernética, pois, como usuário deve estar consciente e atento às tentativas de falsificação de identidade, personificação, roubo de informação, acesso a conteúdos maléficos, entre outros actos que atentam contra a segurança.

Urge a necessidade de informar e educar o cidadão

Para o governante um dos pilares que pode contribuir para o alcance do desiderato perseguido passa por informar e educar o cidadão sobre a importância da protecção dos serviços cibernéticos.

Ademais, uma das formas eficazes de combater a viciação do campo cibernético passa também por incluir e incidir o capital humano no topo da agenda, através de acções de formação, sensibilização, demonstrações e debates em torno desta temática, de modo a que todos nós estejamos aptos e equipados para enfrentarmos os desafios do espaço cibernético.

“Constitui objectivo do Governo que os gestores e técnicos da Administração Pública sejam revestidos de conhecimentos com vista a aprofundar a sua análise crítica, mormente aos desafios actuais na manipulação, disponibilização e segurança de dados e informações, no contexto da garantia que os mesmos se mantenham com a integridade e disponibilidade necessária”, esclareceu Laíce.

De recordar que no evento serão  abordados seguintes temáticas: segurança cibernética em Moçambique, políticas e legislação, estabelecimento de Centros de Resposta a Emergências Computacionais, o papel dos Provedores de Serviço de Internet e, as sinergias que podem ser criadas pelos diferentes intervenientes.

Deixe uma resposta