Maputo foi a cidade mais cara no mês de Abril

Maputo foi a cidade mais cara no mês de Abril

A cidade de Maputo, quando comparada com as cidades de Nampula e da Beira, registou maior subida de preços no mês de Abril deste ano. Segundo o Índice de Preços ao Consumidor, elaborado pelo Instituto Nacional de Estatísticas, a cidade de Maputo teve uma inflação mensal de 0.71 por cento, e as cidades de Nampula e Beira tiveram uma inflação de 0.09 por cento e 0.07 por cento, respectivamente.

Em relação à inflação acumulada, a cidade de Maputo teve o maior agravamento de preços na ordem de 3.22 por cento, seguida da cidade da Beira com 1.45 por cento e por fim Nampula registou uma inflação acumulada de 0.57 por cento. Em termos homólogos, a cidade de Maputo volta a liderar a tendência de aumento do nível geral de preços com 3.67 por cento, seguida da cidade de Nampula com 1.50 por cento. A cidade da Beira teve uma inflação negativa estimada em 0.32 por cento.

Em termos gerais, o país registou, face ao mês anterior, uma subida do nível geral de preços na ordem de 0.43 por cento. A divisão de Transportes foi a que maior agravamento de preços registou tendo contribuído com 0,28pp (pontos percentuais) positivos. Ao se analisar a inflação mensal por produto, destaca-se o aumento dos preços da gasolina (3.8 por cento) das refeições em restaurantes (3.0 por cento), do tomate (8.1 por cento), do gasóleo (5.2 por cento), dos seguros relacionados com transporte (22.0 por cento), do material diverso para manutenção e reparação de habitação (3.0 por cento), e dos vestidos (5.6 por cento). Estes produtos foram responsáveis por cerca de 0,73pp positivos no total da inflação mensal.

Entretanto, alguns produtos com destaque para o coco (21.9 por cento), o peixe fresco (1.8 por cento), a alface (8.3 por cento), o carvão (2.0 por cento), a batata-doce (16.6 por cento), o peixe seco (1.1 por cento) e o gás butano, usado na cozinha, em botija (4.7 por cento) sofreram queda de preços contribuindo para a inflação mensal com 0.38pp negativos.

Fonte; O País

Deixe uma resposta